Tag: Vencedores

Confira os vencedores da 14a. edição do FesTaguá

O Júri Oficial da 14a. edição do Festival Taguatinga de Cinema, formado pela cineasta e jornalista Amaranta César, pela produtora audiovisual, Daniela Marinho, e por Thiago Barros, produtor cultural e artista multilinguagens, premiou 3 filmes de curta-metragem entre os 24 concorrentes da mostra competitiva. Além disso, o FesTaguá premiou o filme escolhido pelo Júri Popular e concedeu uma menção honrosa.

Os três prêmios principais foram para os seguintes filmes: O jirau da Hydro, de Márcio Crux, Sair do Armário, de Marina Pontes, e Motriz, de Taís Amordivino.

O jirau da Hydro, de Márcio Crux, filme que documenta uma manifestação política ocorrida no Pará, traça de maneira precisa, nas palavras do Júri Oficial do festival, e por meio da aliança entre conteúdo e forma, a tensão entre povo, capital e Estado.

Márcio Crux, diretor de O jirau da Hydro

Sair do Armário, de Marina Pontes, faz um investimento formal na exposição de um diálogo entre mãe e filha, atravessado pelo preconceito e ao mesmo tempo pelo afeto.

Marina Pontes, diretora de Sair do armário

Motriz, de Taís Amordivino, é, na opinião do Júri Oficial do festival, espelho e lente entre duas mulheres negras que se descobrem e se aproximam pelo cinema. O filme ganhou também o prêmio do Júri Popular, com 50% dos votos.

Taís Amordivino, diretora de Motriz

A menção honrosa do festival foi para o filme O meu balão vai voar, de Chia Beloto e Rui Mendonça, por traduzir, segundo o diretor William Alves, o espírito do festival em sua fé na força e na resistência do cinema e de toda forma de arte, mesmo em tempos sombrios, como o que vivemos agora.

Chia Beloto, diretora de O meu balão vai voar

A Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo premiou o filme universitário A história muda, de Flávia Sousa, como melhor filme brasiliense da nossa mostra competitiva. Segundo a ABCV, o filme , pela estratégia de direção, abre uma janela para a expressão dramática e fabulação a partir da seleção de personagens reais e suas livres e emocionantes histórias. Além do Troféu ABCV, A história muda recebeu também o Prêmio Aicon, idealizado pela empresa Aicon Ações Cinematográficas, que ofereceu à realizadora  duas diárias de kit de filmagem para o seu próximo filme. 

À direita, Flávia Sousa, diretora de A história muda

Os quatro vencedores do Festival Taguatinga de Cinema 2019, incluindo o filme escolhido pelo Júri Popular, receberam, além do troféu criado pelo artista Omar Franco, o valor de R$2.000,00 cada um.



FESTIVAL ONLINE | Conheça os dois filmes vencedores

os dois mais votados no festival online

O período de votação do nosso Festival Online encerrou-se às 23h59 de sexta-feira, 31 de maio, e hoje, após três dias dedicados à verificação da validade dos votos recebidos por cada filme, anunciamos com alegria a classificação dos seguintes filmes:

1º Colocado
MIKSANG (O OLHAR AMOROSO), que recebeu um total de 535 votos

2º Colocado
A HISTÓRIA MUDA, com 519 votos

Os dois vencedores do Festival Online estarão entre os 24 curtas da nossa Mostra Competitiva e concorrerão a prêmios ao lado dos 22 curtas selecionados pela curadoria oficial do Festival Taguatinga de Cinema.

A organização do festival informa que, de acordo com o regulamento, o processo de verificação dos votos visa garantir a lisura do processo e, para que isso seja assegurado, são considerados inválidos todos os votos oriundos de e-mails temporários. E-mails dessa natureza oferecem indícios de fraudes em votações online, já que podem ser criados para simples cadastro e depois dispensados sem prejuízo para as respectivas plataformas ou para quem os criou.

O Festival Taguatinga de Cinema, que há 5 edições realiza a Mostra Online como forma de democratizar o acesso à nossa Mostra Competitiva, promovendo a curadoria popular dos filmes inscritos, sabe que esse tipo de evento costuma ser alvo de ataque de crackers que objetivam tão somente prejudicar o processo. Por isso mesmo, estabelecemos regras que podem ser conferidas em nosso regulamento, que é sempre divulgado na abertura do período de inscrições de cada edição do festival. O regulamento de 2019 pode ser conferido aqui: https://bit.ly/2wC8ioq



Lista de vencedores do 12º Festival Taguatinga de Cinema

O júri oficial do 12º Festival Taguatinga de Cinema, formado pela jornalista Cynara Menezes, pela produtora Josiane Osório, pelo produtor cultural e fotógrafo Miguel Ribeiro e pelo presidente do júri e diretor do Festival, William Alves, deliberou e escolheu os seguintes curtas-metragens como os premiados da edição:

Pelo conjunto da obra, direção, fotografia e som, pela importância do tema e potência do discurso baseado na resistência feminina na luta contra a opressão e extermínio da diversidade identitária e como forma de reconhecimento e agradecimento aos povos guerreiros e as populações indígenas, o documentário, do Distrito Federal, “Tekoha – Som da Terra”, dirigido por Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron;

Pela delicadeza do olhar e pela abordagem sobre o universo fantástico da infância e da criança, a ficção paulistana “Luiz”, dirigido por Alexandre Estevanato;

E pela irreverencia da personagem e pela contemporaneidade do debate que ela impõe, o documentário capixaba “Divina Luz”, direção de Ricardo Sá;

Os três curtas escolhidos como menção honrosa são:

Pelo conjunto da direção do filme e da direção de atores e pela abordagem contundente da violência simbólica e sexual contra a mulher, a ficção paulistana “Ouroboros”, de Beatriz Pessoa e Guilherme Andrade;

Pela importância da cultura imaterial, do patrimônio material e imaterial, pela transmissão dos saberes populares e pelos povos da floresta, o documentário carioca “Do corpo da Terra”, de Julia Mariano;

Pela delicadeza narrativa e visual, o curta experimental carioca “Ikini”, dirigido por Fernanda Rondon.

O filme mais votado pelo júri popular foi a produção do Distrito Federal “Fora do Plano”, de Raul de Lima.

Todos os premiados recebem troféus feitos pelo artista plástico Omar Franco e os três primeiros segundo o júri oficial recebem também prêmios em dinheiro.

Quer assistir aos filmes premiados? Os links estão abaixo:

1º lugar:
Tekoha – Som da Terra
Direção: Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron (Xamiri Nhupoty). Documentário, 20 min, 2017, DF, 12 anos

2º lugar:
Luiz
Direção: Alexandre Estevanato. Ficção, 16 min, 2017, SP, livre

3º lugar:
Divina Luz
Direção: Ricardo Sá. Documentário, 14 min, 2017, ES, 12 anos

Menção honrosa:
1º lugar:
Ouroboros
Direção: Beatriz Pessoa e Guilherme Andrade. Ficção, 17 min, 2017, SP, 16 anos

2º lugar:
Do corpo da Terra
Direção: Julia Mariano. Documentário, 23 min, RJ, livre

3º lugar:
Ikini
Direção: Fernanda Rondon. Experimental, 8 min, 2016, RJ, livre

Curta mais votado pelo júri popular:
Fora do Plano
Direção: Raul de Lima. Documentário, 18 min, DF, livre



↑ Voltar Topo ↑