12º Festival Taguatinga divulga a lista dos filmes selecionados para a Mostra Competitiva

Em 2017, o Festival Taguatinga de Cinema recebeu a inscrição de 215 produções vindas de 20 estados e do Distrito Federal. A comissão de seleção analisou todos os inscritos e escolheu 20 curtas-metragens que se destacaram por suas qualidades narrativas, autorais, audiovisuais e também pelo diálogo com tema desta edição do Festival, “Nossa porção mulher”. Aos 20 selecionados somam-se os quatro filmes mais votados no site do Festival.

Essas 24 produções serão exibidas entre os dias 1º e 4 de novembro, no Teatro da Praça, em Taguatinga, com entrada franca.

Confira abaixo a lista dos filmes selecionados e, logo depois, os mais votados.

Selecionados pela curadoria:

Ainda não lhe fiz uma canção de amor
Direção: Henrique Arruda
Ficção, 15 min, 2015, RN
Greg e Alessandro estão no quarto, se olhando. O sentimento de culpa e nostalgia daquele momento pode marcar para sempre a vida dos dois, mas é apenas uma passagem para permitir que o amor caminhe livremente entre eles.

Almeirinda – A luta continua
Direção: Cibele Tenório
Documentário, 9 min, 2015, DF
Um resgate histórico da vida de Almerinda Farias da Gama, uma das primeiras militantes feministas brasileiras.

Confessionais – Salvar a si mesma
Direção: Sheila Campos
Experimental, 17 min, 2016, DF, 12 anos
O registro pessoal e sem censuras das vivências de uma mulher acima dos 40 anos no início do século 21.

Close
Direção: Rosane Gurgel
Documentário, 20 min, 2016 CE, livre, livre
Jéssica, Suyanne, Bruna e Nathália estão detidas na unidade prisional, localizada em Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza. Um espaço, várias histórias, a mesma esperança compartilhada por todas: resistir e lutar pelo fim do preconceito.

Crônicas do meu silêncio
Direção: Beatriz Pessoa
Ficção, 8 min, 2016, SP, 12 anos
Histórias que se cruzam. Silêncios que se reconhecem. Um manifesto sobre a violência contra a mulher retratado em três depoimentos baseados em situações cotidianas.

Diamante, o bailarino
Direção: Pedro Jorge
Ficção, 20 min, SP, 12 anos
Voe como uma borboleta, ferroe como uma abelha.

Divina Luz
Direção: Ricardo Sá
Documentário, 14 min, 2017, ES, 12 anos
O pensamento libertário de Luz Del Fuego, a bailarina naturalista que incendiou o Brasil nos anos 50 e que em 2017 completaria 100 anos.

Do corpo da Terra
Direção: Julia Mariano
Documentário, 23 min, RJ, livre
Retrato de como quatro mulheres do Coletivo de Saúde do MST mudaram suas vidas na relação com a terra e com seus corpos.

Fora do Plano
Direção: Raul de Lima
Documentário, 18 min, DF, livre
Cinco integrantes da comunidade LGBTQ compartilham experiências e vivências nas cidades ao redor da capital brasileira.

Encontre-me lá
Direção: Caio Alvarenga, Ricardo Estevam e Catarina Almeida
Ficção, 12 min, 2016, RJ, 18 anos
Presa num casamento desgastado, Sara descobre em Bruna uma nova forma de amar. Após sua separação, Sara se vê finalmente livre. Mas será Bruna a liberdade que tanto procura?

Euá, a Fonte
Direção: Renato Barbieri e Adriana Meirelles
Animação, 5 min, 2017, DF, livre
O universo particular de lendas tradicionais do imaginário brasileiro.

Ikini
Direção: Fernanda Rondon
Experimental, 8 min, 2016, RJ, livre
Um filme sobre corpo e presença. Assim como a terra é marcada pelo tempo, cada corpo traz uma escrita invisível cravada na pele ao longo da vida. Ikini fala do feminino e suas conexões com a terra.

Luiz
Direção: Alexandre Estevanato
Ficção, 16 min, 2017, SP, livre
Às vezes esquecemos de valorizar quem realmente importa no dia a dia e quando nos damos conta, pode ser tarde demais. Prepare-se para um verdadeiro resgate a certos sentimentos familiares. Hoje você já disse que ama?

Mucamas
Direção: Coletivo Nós, Madalenas
Documentário, 15 min, SP, livre
A história da vida de mulheres que são ou já foram empregadas domésticas, escancarando suas lutas e desigualdades. Filme dirigido pelas filhas dessas protagonistas, e por isso propõe também uma importante reflexão sobre representatividade e a construção de narrativas populares.


Direção: Pedro Gui
Experimental, 14 min, MG, livre
Um teste de elenco é encardo por Ana como a última cartada de sua carreira. A trajetória de permeia essa dualidade entre ator/atriz e personagem. Cada vez que Ana se liberta de si mesma, chega mais próximo de se tornar a personagem.

Ouroboros
Beatriz Pessoa e Guilherme Andrade
Ficção, 17 min, 2017, SP, 16 anos
Um pai se torna selvagem em busca de vingança, mas desconhece que, em seu próprio habitat, ele também é um animal.

Pretas no hip hop
Direção: Priscila Francisco Pascoal
Documentário, 14 min, 2017, DF, livre
Mulheres negras falam em primeira pessoa sobre suas experiências e trajetórias na cultura hip hop enquanto rappers, break dancers, grafiteiras e DJs e deixam seu recado para outras pretas.

Sustento
Direção: Sylara Silvério
Documentário, 1 min, PE, livre
Sustento é um rio de água rasa. Nele, se pesca da rua a casa, do que se é ao que se vê. É a correnteza que se vence à força, é a sutileza que se renova a cada maré.

Tekoha – Som da Terra
Direção: Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron (Xamiri Nhupoty)
Documentário, 20 min, 2017, DF, 12 anos
Nossas mães lideram a retomada do Tekoha Takuara pelo nosso modo de ser e viver – Nhande reko. O agronegócio avança sobre corpos-terras indígenas no Mato Grosso do Sul. A luta para recuperar as terras sagradas, a essência da vida na nossa cosmovisão. O luto pelo genocídio Kaiowa e Guarani no Brasil.

Translúcidos
Direção: Asaph Luccas e Guilherme Candido
Documentário, 14 min, 2015, SP, livre
A vida de pacientes presos em uma clínica de tratamento de disforia de gênero. Ali, transgêneros vivem a base de medicamentos e técnicas de aversão, fazendo um claro comentário sobre a presença de transgeneridade na classificação internacional de doenças (CID).

Os quatro filmes mais votados no site:

Apesar de tudo
Direção: Janaina Dórea
Ficção, 18 min, 2017, RJ, livre
Joana recebe uma carta da mãe, com quem não fala há muito tempo, e decide ir ao encontro dela. Entre mágoas e ressentimentos, uma descoberta as faz refletir sobre o quanto tudo pode ser tão efêmero e fugaz.

Deuteronômio 22
Direção: Érico Luz
Ficção, 5 min, 2016, SP, 16 anos
Em um lugar pobre, distante e atemporal, a predominância da violência e da cultura do estupro faz ocorrer um milagre que levantará uma questão a respeito da doutrina de justiça, mas também sobre o ideal do livre-arbítrio.

Dois perdidos numa caixa de papelão
Direção: Armando Lima
Ficção, 11 min, 2017, RJ, 16 anos
Por causa da fome, duas catadoras de lixo são levadas a furtar e consequentemente vivem a pior noite de suas vidas.

Saia de boneca
Direção: Vanessa Cunha
Ficção, 7 min, 2016, RJ, livre
Conflitos femininos, toda a opressão oriunda de padrões estéticos e boas maneiras moralmente impostas pela sociedade. Imagens irreais são argumentos críticos que ilustram a psique da personagem. Um universo lúdico e colorido repleto de um sombrio sentimento de culpa.